Viagens turísticas diminuíram 41,1% em 2020

No quarto trimestre de 2020 as viagens turísticas de residentes diminuíram 57,4%, e no total do ano reduziram 41,1%.

No conjunto do ano de 2020 as viagens realizadas pelos residentes atingiram um total de 14,4 milhões (+10,8% em 2019) e decresceram 41,1%. De acordo com os dados avançados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística – INE, as viagens nacionais diminuíram 35,7% e as viagens ao estrangeiro decresceram 78,1% (+9,0% e +24,7%, respetivamente, em 2019).

O principal meio de alojamento utilizado foi o alojamento particular gratuito (69,2%, +8,0 p.p. face a 2019) e o número médio de noites por turista nas viagens efetuadas aumentou 23,2% (de 5,45 noites em 2019 para 6,72 noites em 2020). Os residentes em Portugal, no 4º trimestre de 2020, realizaram 2,3 milhões de viagens, correspondendo a um decréscimo de 57,4% (-26,7% no 3º trimestre de 2020).

As viagens em território nacional concentraram 97,4% das deslocações, correspondendo a 2,3 milhões, o que revelou um decréscimo de 53,2%. As viagens com destino ao estrangeiro diminuíram 90,3%, totalizando 61,6 mil, correspondendo a 2,6% no total (2,5% no 3ºT 2020).

O instituto Nacional de Estatística apurou assim, uma significativa diminuição do número de viagens no trimestre e em termos anuais O impacto da pandemia COVID-19, no quarto trimestre de 2020 e a implementação de medidas mais restritivas à circulação, em especial nos meses de novembro e dezembro, continuou a fazer-se sentir no número de viagens realizadas, tendo os residentes em Portugal realizado 2,3 milhões de viagens, o que correspondeu a um decréscimo de 57,4% (-26,7% no 3º trimestre 2020). Em outubro, novembro e dezembro, verificaram-se decréscimos de 42,6%, 65,2% e 61,2%, respetivamente (-30,8%, -23,5% e -27,9%, pela mesma ordem, nos meses de julho, agosto e setembro). Segundo os resultados preliminares, no conjunto do ano de 2020 realizaram-se 14,4 milhões de viagens (-41,1% face a 2019), registando assim, o valor mais baixo da última década.

As viagens em território nacional, no quarto trimestre de 2020, corresponderam a 97,4% das deslocações efetuadas (97,5% no 3º trimestre de 2020), registando-se um decréscimo de 53,2% (-18,5% no 3º trimestre de 2020) face ao período homólogo (variações de -37,0% em outubro, -61,4% em novembro e -57,4% em dezembro).

As viagens turísticas com destino ao estrangeiro representaram 2,6% do total (2,5% no 3º trimestre de 2020), correspondendo a 61,6 mil viagens (-90,3% face ao período homólogo; -84,8% no 3º trimestre de 2020) com os meses de outubro, novembro e dezembro a registarem decréscimos de 85,5%, 92,5% e 91,6%, respetivamente.

De acordo com os dados divulgados pelo INE, a principal motivação para viajar no quarto trimestre de 2020, foi “visita a familiares ou amigos”, tendo correspondido a 1,2 milhões de viagens (-57,7% face a igual período do ano anterior; -32,6% no 3º trimestre de 2020), passando a sua representatividade para 49,7% do total (-0,3 p.p. face ao 4º trimestre de 2019).

O motivo “lazer, recreio ou férias” correspondeu a 761,5 mil viagens realizadas (-58,9%), representando 32,4% do total (-1,1 p.p. face ao 4ºT 2019). As viagens por motivos “profissionais ou de negócios” (222,2 mil) aumentaram em 0,1 p.p. o seu peso relativo no 4.º trimestre de 2020 (9,5% do total).

As viagens para o estrangeiro, no total do ano de 2020, decresceram 78,1% (+24,7% em 2019), representando 4,7% do total (-8,0 p.p.), a maioria para “lazer, recreio ou férias” (peso de 43,9%, -15,8 p.p.). As viagens nacionais diminuíram 35,7% (+9,0% em 2019), tendo sido também o motivo “lazer, recreio ou férias” aquele que esteve associado à realização de mais viagens (peso de 54,6%; +6,6 p.p.).

O INE indica ainda que em 2020, as dormidas em “alojamento particular gratuito” reforçaram o seu peso no total, correspondendo a 69,2% (61,3% em 2019), tendo os “hotéis e similares” perdido representatividade (20,7% do total das dormidas, -6,3 p.p.), em resultado da diminuição do número de dormidas neste tipo de alojamento em 45,9% face a 2019.