Taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação supera os 4% em maio

A taxa de juro média dos novos depósitos a prazo de particulares atingiu 1,26%, o valor mais elevado em oito anos.

De acordo com as estatísticas publicadas hoje pelo Banco de Portugal, relativas às taxas de juro e de montantes de novos empréstimos e depósitos bancários de empresas e particulares atualizadas para maio de 2023, a taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação cresceu de 3,97% em abril para 4,15% em maio, superando o limiar dos 4% pela primeira vez em 11 anos

Em maio, a taxa de juro média dos novos depósitos a prazo de particulares aumentou de 1,03% para 1,26%, o valor mais elevado em 8 anos.

No mês em análise, as novas operações de empréstimos aos particulares totalizaram 2289 milhões de euros, mais 495 milhões do que em abril. O aumento foi comum a todas as finalidades, desde habitação, a consumo e outros fins (subidas de 353, 90 e 53 milhões de euros, respetivamente).

A taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação cresceu de 3,97% em abril para 4,15% em maio, superando os 4% pela primeira vez em 11 anos. O aumento das taxas de juro médias foi mais moderado nas finalidades consumo (de 8,69% em abril para 8,72% em maio) e outros fins (de 5,18% em abril para 5,19% em maio).

No que diz respeito à taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação contratados, a taxa variável foi de 4,20% em maio, praticamente igual à taxa de juro média dos novos empréstimos a taxa fixa (4,19%).