Rendas de habitação aumentaram 1,8% em maio

As regiões com a variação mensal positiva mais elevada foram o Norte e Lisboa, com uma taxa de 0,2%.

A variação homóloga das rendas de habitação por metro quadrado foi de 1,8% em maio de 2021, sendo que o registo foi de 1,5% no mês de abril. Foram estes os dados apresentados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística no Índice de Preços do Consumidor.

De acordo com o relatório apresentado, todas as regiões registaram variações homólogas positivas das rendas de habitação, tendo Lisboa e a Região Autónoma dos Açores registado os aumentos mais intensos (1,9%).

Quanto ao valor médio das rendas de habitação por metro quadrado, este registou uma variação mensal de 0,1%, valor idêntico ao registado no mês anterior.

No que respeita às regiões com a variação mensal positiva mais elevada, foram o Norte e Lisboa, com uma taxa de 0,2%, enquanto a Região Autónoma dos Açores registou a única variação mensal negativa (-0,1%).

O índice de Preços no Consumidor (IPC), realizado pelo Instituto Nacional de Estatística mede a evolução temporal dos preços de um conjunto de bens e serviços representativos da estrutura de despesa de consumo da população residente em Portugal.