RE/MAX fecha 2021 com 80.229 transações

As transações envolveram 106 nacionalidades diferentes, com destaque para os clientes nacionais (82,1%).

A RE/MAX, anunciou hoje que fechou 2021 com um volume de preços na ordem dos 6,5 mil milhões de euros, relativos a 80.229 transações, 77,6% das quais de compra e venda de imóveis. A imobiliária termina o ano com aumentos em todos os indicadores face ao período homólogo, registando um crescimento de 41% em volume de negócios e de 29,2% no número de transações, o que faz deste o melhor ano de sempre da rede.

Quanto às nacionalidades dos investidores, os portugueses foram responsáveis por 82,1 % das transações da RE/MAX em 2021, com os distritos de Lisboa, Porto e Setúbal a serem os mais relevantes nos resultados finais.  No que respeita ao investimento estrangeiro, no período em análise, a RE/MAX transacionou com 106 nacionalidades estrangeiras. Em destaque estiveram os brasileiros que, pelo quinto ano consecutivo, são quem mais negoceia imobiliário com a mediadora, representando já 5,5% do total do volume transações. Em evidência estiveram também os clientes franceses (1,2%), ingleses (1,1%), angolanos (1,1%) e norte-americanos (1%) que fecham o top 5 das nacionalidades estrangeiras que mais imóveis negociaram com a RE/MAX em 2021.

A mediadora reforçou também a sua presença no mercado em 2021, ampliando as suas quotas de 30 a 40% em distritos historicamente importantes como o de Lisboa, mas também  em toda a região norte do país.

De acordo com Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX, “Em 2021 o mercado de mediação imobiliária revelou-se bastante dinâmico e a RE/MAX foi exemplo dessa vitalidade, ao alcançar o seu melhor ano de sempre nas diferentes variáveis analisadas, como volume de negócios, número de transações, imóveis disponíveis, número de consultores e agências em atividade. Os dados mostram ainda que o último trimestre do ano, assim como o mês de dezembro, foram os melhores de sempre em todos os anos de operação da marca no mercado nacional, uma trajetória bastante favorável e que abre boas perspetivas para 2022.”

Numa análise por distrito, Lisboa continua a liderar o top 10 com um total de 32.548 transações, o que corresponde 40,6%.  Seguem-se os distritos do Porto (13,9%), Setúbal (10,6%), Braga (5,8%), Faro (4,4%), Leiria e Coimbra (3,7% cada), Santarém (3,5%), Aveiro (3,4%) e Viseu (1,9%). No total, os 10 distritos portugueses representam 91,5% dos imóveis transacionados pela rede em 2021. Destaque ainda para as Ilhas, 12ª posição dos Açores e a 14ª da Madeira, com um número de transações de 1.059 (1,3%) e de 781 (1%), respetivamente.

Os dados da RE/MAX mostram ainda que os apartamentos e as moradias são os dois tipos de propriedade que a rede mais comercializou em 2021, representando 62,2% e 21,4% do total, respetivamente. As tipologias mais procuradas nos apartamentos vendidos continuam a ser os T2 (45,1%) seguindo-se os T3 (31,7%) os T1 (16,8%) e os T4 (4,1%). Dos imóveis negociados neste período 6,9% dizem respeito a terrenos e 3,5% são lojas.

Beatriz Rubio refere, quanto a previsões para 2022, “A pandemia veio reforçar a imagem do imobiliário como um setor resiliente, como uma alternativa credível e relativamente segura para investimento a longo prazo, sendo por isso procurado por investidores como forma de rentabilização do seu capital e reforçando ainda mais os índices de procura. Também as estimativas de crescimento económico que, a par de alguma confiança e segurança que tais previsões transmitem, favorece a tomada de decisões de longo prazo“.

Presente em Portugal desde o início do ano 2000, a RE/MAX Portugal, a maior imobiliária a operar em território nacional e líder na mediação é composta por uma rede de 381 agências de Norte a Sul e Ilhas e 12 mil profissionais. A marca tem somado ao longo dos anos vários prémios e distinções, que a confirmam como uma referência para os consumidores portugueses na área onde atua, o imobiliário.