Preços das habitações subiram 12,2% no 3º trimestre de 2021

Entre outubro de 2020 e setembro de 2021, 49 municípios apresentaram um preço mediano superior ao valor nacional.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, em Portugal no 3º trimestre de 2021, o preço mediano de alojamentos familiares foi de 1 311 €/m2, representando uma taxa de variação homóloga de +12,2% (+6,8% no trimestre anterior).

Durante este período, a variação homóloga dos preços subiu em 8 dos 11 municípios com mais de 100 mil habitantes da Área Metropolitana de Lisboa, tendo o crescimento sido superior ao verificado a nível nacional (+5,4 p.p.) em Lisboa (+11,4 p.p.) e Amadora (+6,0 p.p.).

A registar que Lisboa tinha sido o único município com mais de 100 mil habitantes a apurar uma taxa de variação homóloga negativa no 1º trimestre de 2021 (-7,9%), no 2º trimestre esta taxa aumentou para +1,4% e no período em análise para +12,8%, acima da variação do país (+12,2%).

Em Lisboa, no período em análise, o preço mediano de alojamentos familiares foi de 3 592 €/m2, valor superior ao do 1º trimestre de 2020 (3 536 €/m2) que era o mais elevado desde o início da série. Mais a norte, na Área Metropolitana do Porto, somente os municípios de Santa Maria da Feira (+3,6 p.p.) e Gondomar (+0,7 p.p.) observaram aumento da taxa de variação homóloga, ambas inferiores ao aumento nacional.

Entre outubro de 2020 e setembro de 2021, quarenta e nove municípios, localizados maioritariamente no Algarve e Área Metropolitana de Lisboa, registaram preços da habitação acima do valor nacional (1 250 €/m2). Tendo como referência as vendas efetuadas durante este período, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi 1 250 €/m2, aumentando +2,6% relativamente ao trimestre anterior e +7,8% relativamente ao trimestre homólogo.

Segundo o INE, o preço mediano da habitação manteve-se acima do valor nacional nas sub-regiões do Algarve (1 881 €/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1 730 €/m2), Região Autónoma da Madeira (1 386 €/m2) e Área Metropolitana do Porto (1 329 €/m2).

Entre outubro de 2020 e setembro de 2021, 49 municípios apresentaram um preço mediano superior ao valor nacional, localizados maioritariamente nas subregiões Algarve (14 em 16 municípios) e Área Metropolitana de Lisboa (16 em 18). O município de Lisboa (3 427 €/m2) registou o preço mais elevado do país. Verificaram-se também valores superiores a 2 000 €/m2 em Cascais (2 971 €/m2), Oeiras (2 536 €/m2), Loulé (2 498 €/m2), Porto (2 264 €/m2), Albufeira (2 138 €/m2), Lagos (2 109 €/m2), Odivelas (2 104 €/m2) e Tavira (2 038 €/m2), os mesmos municípios que no trimestre anterior.

Quanto à Área Metropolitana de Lisboa, o Algarve, a Área Metropolitana do Porto, a Região de Coimbra e a Região Autónoma dos Açores apresentaram diferenciais de preços entre municípios superiores a 1 000 €/m2 .