“Portugal é um dos destinos turísticos do mundo” – Resort and Residential Hospitality Forum

Foi com um verdadeiro sentimento de optimismo e confiança que se deu início ao Resort and Residential Hospitality Forum, que decorreu entre 17 e 19 de outubro no Tivoli Marina Vilamoura Algarve Resort.

Esta é a única conferência europeia de investimento em resorts e lazer, que contou com a presença de proprietários, hoteleiros, investidores e promotores. Baseado num tema central de “Retornos Sustentáveis no Lazer”, o programa deste ano apresentou sessões desafiantes e estimulantes com áreas específicas de destaque em cada um dos dias.

Organizado pelo Questex Hospitality Group, o R&R (Resort and Residential Hospitality Forum), contou com a presença de Alexi Khajavi, President, Questex e Joe Stather, Market Leader – Operational Real Estate, Questex, que guiaram toda a conferência R&R 2022. António Costa Silva, Ministro da Economia e do Mar, deu início à conferência, apresentou Portugal, o turismo e a importância que este tem para o nosso país. Encorajou as empresas a investirem em Portugal, “Portugal é um dos destinos turísticos do mundo, o país tem imóveis interessantes e grandes oportunidades de investimento. O turismo é um dos principais indicadores para o desenvolvimento do país”, salientou António Costa Silva.

O programa deste ano apresentou um conjunto de oradores que incluíram o famoso jornalista de viagens e autor Doug Lansky; Ramon Aragones, CEO, NH Hotels; Javier Arus, Sócio Principal, Azora; Robert Mangan, Director, Bain Capital; Lyublena Dimova, Gestora de Projectos de Investigação, Comissão Europeia de Viagens; e Daniel von Barloewen, Vice-Presidente, Desenvolvimento Residencial (Global), Accor.

Ao longo do primeiro dia em que se deu início à conferência, foram apresentados temas interessantes relativamente ao mercado de hospitality, mais concretamente às dinâmicas do mercado, investimento hoteleiro e a importância de Data para o sector. Carlos Cendra, Chief Marketing Officer, Mabrian Technologies, apresentou quatro indicadores de investimento a analisar no setor hoteleiro: preços de hotéis, procura de voos na internet, global satisfaction (a nível de alojamento, produtos turísticos, segurança e clima do país) e ligações aéreas.  Ainda no mesmo painel, Lyublena Dimova, Research Project Manager, European Travel Commission, apresentou estatísticas de turismo que colocam Portugal no top 10 dos destinos mais procurados.

Com o início da pandemia virou-se o tabuleiro do jogo na maioria das atividades e na indústria hoteleira, foram assim apresentados vários dados estatísticos de comparação entre os anos de 2019 e 2022, ano em que se verifica uma enorme recuperação no turismo. A maioria dos oradores e convidados mostram-se optimistas com os resultados deste ano e com as previsões para 2023 no setor hoteleiro. Fruto do coronavírus, parte dos F&B (Food & Beverage) e aeroportos foram obrigados a fechar, pensou-se que nada voltaria a ser igual, no entanto este ano foi a prova de que começamos a voltar à normalidade e as pessoas mostram vontade de viajar.

No painel dedicado ao tema “Plan and perform: The hospitallity and residential market Data that matters”, abordaram-se temas como, tomar decisões empresariais informadas com base em estatísticas, as principais empresas de dados, com enfoque no aumento da transparência nos locais de resorts que fornecem uma visão orientada pelos dados relativamente a receitas, rentabilidade, ESG e investimento. Desta forma, foram abordadas as leis de 2050 (european green deal), discutiram-se estratégias para reduzir os gastos em eletricidade, gás e água e onde será possível otimizar. Concluiu-se que existe no momento uma grande preocupação por parte dos hotéis em guardar capital para obras de sustentabilidade e poupança energética, como o exemplo dos painéis solares e isolamento.

No tema “Hospitallity Brand, Tour Operator or going solo? Reviewing the value of Partner Ships for owners”, Dimitri Manikis, President EMEA, Wyndham Hotels & Resorts, defende as marcas em hotelaria. Segundo o responsável “As marcas são segurança, as marcas não são apenas nomes ou bandeiras, as marcas têm um futuro e precisam evoluir”.

Ainda neste primeiro dia, reforçando a confiança no setor, No painel de “Finding the right partner to manage a leisure property”, Rita Pereira, SVP Strategy & Business Development, Amazing Evolution, referiu que “a chave do sucesso é a satisfação do cliente. Um cliente satisfeito é um cliente que regressa.”

No painel de “Sustainability and Governance” falou-se de ESG criteria. Rita Marques, Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, abordou o tema de estratégias de sustentabilidade aplicadas em hotéis.

Em “Community Spirit”, discutiram-se quais os objetivos de integração do negócio de hospitality e residencial nos diferentes locais. Margarida Almeida, CEO, Amazing Evolution, acredita que a definição de community spirit é “quando os visitantes/turistas se sentem locais durante a sua estadia” e realça a importância para os empreendimentos de empregar residentes, que trazem benefícios para o turismo local.

No evento em que líderes influentes e especialistas em hotelaria partilharam conhecimentos valiosos sobre a forma como investidores e marcas podem alcançar retornos sustentáveis a longo prazo no crescente sector de resorts de lazer no R&R em Portugal, a iniciativa contemplava também o tratamento da mente, corpo e alma com um programa de bem-estar simultâneo repleto de corridas de praia, yoga ao nascer do sol e sessões de networking “walk and talk” alimentadas por um menu de F&B nutritivo e equilibrado.

No segundo dia, foi a vez de Chitra Stern, CEO Martinhal Resorts, apresentar os seus projetos. A responsável pelo grupo Martinhal, falou também sobre branded residences e quais os critérios para encaixar um novo projeto. Sendo que considera a localização fundamental, as “branded residences são desenhadas com foco nos mercados que querem atrair, tanto famílias ou pessoas singulares em negócios”, salientou Chitra Stern.

Também Henrique Rodrigues da Silva, Chief Operations Officer, Vilamoura World, salientou no painel “Megaprojects for Megatrends” que o mercado está a mudar. Vêem-se novas nacionalidades de clientes (USA, Brasil, Norte da Europa) que mostram vontade que querer ficar a viver em Portugal e estas preferências requerem pensar em novas infraestruturas.

O R&R2022 terminou com a fantástica apresentação de um dos principais oradores, Doug Lansky, escritor de viagens. No painel intitulado “Smart Hospitality: Repensar o Negócio da Hotelaria de Lazer”, falou sobre experiências em diversos tipos de alojamentos turísticos e quais as estratégias que os hotéis podem seguir que sejam mais adequadas para o tipo de alojamento. Uma estratégia, apesar de ser boa, pode não funcionar em todos os tipos de unidades hoteleiras e deu vários exemplos que reforçam essa ideia. Para Doug Lansky “no fundo o que é importante é garantir qualidade no turismo e a satisfação dos clientes”.

O Questex Hospitality Group, uma divisão da Questex LLC, representa uma audiência sénior de 650 mil milhões de dólares em ativos hoteleiros, atingindo um em cada dois proprietários e operadores hoteleiros em todo o mundo. Com uma carteira de eventos ao vivo, incluindo Hospitality Insights, The Annual Hotel Conference (AHC), The International Hospitality Investment Forum (IHIF), e The Resort & Residential Hospitality Forum (R&R), o Questex Hospitality Group reúne líderes em investimento, desenvolvimento e operações de hotelaria para fazer os negócios que moldam a recuperação e o crescimento no sector.