O Mercado Imobiliário Grego em junho

O mercado de edifícios de escritórios teve algumas transações em junho.

O impacto da pandemia de Covid-19 nos mercados imobiliários grego e cipriota começou a tornar-se mais claro no mês de junho. A recuperação de ambos os mercados tem sido impressionante no último ano, mas foi sobretudo apoiada pelo investimento estrangeiro e pelo rápido crescimento do turismo, uma vez que a procura interna de habitação e de bens imobiliários não-investidos permaneceu limitada. Com o turismo a sofrer um golpe decisivo e os planos de investimento a nível mundial a congelar, ambas as dinâmicas de mercado estão a estagnar.

Contudo, como o Banco da Grécia assinala, os efeitos não são os mesmos para todos os ativos imobiliários e as taxas de recuperação a médio e longo prazo irão variar dependendo da categoria, localização e características especiais dos ativos.

De acordo com os dados divulgados, no final de fevereiro as tendências ascendentes dos preços RE continuaram, março marcou o início de um novo período, que é diretamente afetado, entre outras coisas, pelo rápido declínio da indústria do turismo, pela suspensão da atividade de investimento e pela incerteza sobre a evolução e duração da atual crise.

A paragem abrupta das atividades imobiliárias, a suspensão temporária do funcionamento dos escritórios de hipotecas e a redução das rendas não permitem ainda a avaliação do impacto total.

Em Chipre, o Banco Central divulgou dados segundo os quais o sector imobiliário está a sofrer um abrandamento da tendência ascendente registada nos anos anteriores. O abrandamento da procura de ativos imobiliários começou na segunda metade de 2019, especificamente após a aplicação dos critérios mais rigorosos para o Programa de Investimento de Chipre, continuou durante os primeiros meses de 2020 e agravou-se em março e abril devido à pandemia. As medidas restritivas também afetaram a atividade de construção, bem como as expectativas dos agentes do mercado imobiliário.

De acordo com os dados preliminares não publicados do Banco Central de Chipre, os aumentos dos preços da habitação abrandaram ainda mais no primeiro trimestre de 2020.

Hotéis

Neste contexto, há centenas de hotéis em todo o país à venda, com preços negociáveis devido à pandemia. A maioria das transações foi congelada até que o mercado estabilize e se adapte à nova situação, dependendo da dimensão do golpe financeiro.

No entanto, existem megaprojetos em curso, especialmente em destinos de férias populares como Mykonos. A Grivalia Hospitality e a Frontisa Management estão um passo mais perto da implementação de um investimento de 58 milhões de euros em hospitalidade em Mykonos. O projeto designado por “Projecto Azul” já foi incluído nos Investimentos Estratégicos. De acordo com o plano, uma unidade hoteleira de 5 estrelas com infraestruturas de SPA com uma capacidade total de 340 camas, será desenvolvida num terreno de cerca de 100 km quadrados, na área de Ano Mera, a cerca de 400 metros da praia de Kalo Livadi.

Outro investimento hoteleiro em Mykonos recebeu luz verde do Conselho Central de Questões e Conflitos Urbanos. O projeto tem um orçamento de 40 milhões de euros. O complexo de villas mobiladas e um hotel de cinco estrelas será desenvolvido numa área de 53,4 km quadrados, no local de Kastellakia, perto do povoado costeiro de Platy Gialos.

Escritórios/Comercial

Apesar da pandemia, o mercado de edifícios de escritórios teve algumas transações em junho. A Trastor REIC anunciou a aquisição de dois edifícios de escritórios de primeira qualidade, de grau A, localizados em Marousiou – Chalandriou Str. em Maroussi. A empresa adquiriu um edifício de escritórios autónomo com uma superfície total de 21.412 m2 que consiste em áreas de escritórios e áreas subterrâneas auxiliares e de estacionamento. Adicionalmente, a Trastor adquiriu um edifício de escritórios autónomo com uma área total de 4.185 m2 que consiste em áreas de escritórios e áreas subterrâneas auxiliares e de estacionamento localizadas a 29, Amarousiou-Chalandriou Str. O preço de aquisição deste imóvel é de 7,2 milhões de euros. O vendedor de ambos os imóveis é a AVAX S.A., um dos maiores grupos de construção na Grécia que arrendará os dois imóveis e permanecerá como inquilino. A transação foi financiada por fundos obtidos através da emissão de empréstimos obrigacionistas comuns.

Por outro lado, a Intercontinental International REIC decidiu não prosseguir com a aquisição de um imóvel comercial independente na Rua Tsakalov, 13. De acordo com o anúncio, “relativamente à licitação bem sucedida num concurso público organizado pela Piraeus Real Estate SE para a aquisição de um imóvel comercial independente na rua 13 Tsakalov informa os seus acionistas e o público que, tendo em conta o clima negativo criado na economia, devido à pandemia de SARS COVID-19 e após discussões relevantes com o organizador do concurso, não procederá à aquisição do referido imóvel”.

Residencial

Como os compradores estrangeiros estão congelados durante a pandemia, o mercado RE residencial tem estado em desaceleração desde março. No entanto, tem havido algum interesse pelas habitações de férias.

O antigo jogador de basquetebol do Olympiakos (na próxima época a jogar no CSKA Moscovo) Nikolas Milutinov adquiriu duas propriedades no Peloponeso por 1,5 m. As propriedades estão localizadas na Costa Navarino, Messínia. A compra assegura o visto de ouro para o jogador, que é dado aos estrangeiros que fazem um investimento de mais de 250.000 euros.

 

Terrenos

O investimento em terrenos para desenvolver centros logísticos também ainda está ativo. Neste contexto, a BriQ Properties anunciou que adquiriu dois terrenos adjacentes com uma área total de 57.529 m2 localizados em Aspropyrgos, Ática. O preço total para a compra dos dois terrenos ascendeu a 3.456.000 euros. A empresa irá desenvolver um centro moderno de armazenamento e distribuição na área específica.