Novo crédito à habitação aumenta 25,3%

O consumo de cimento cresceu 18,2%.

Segundo a Síntese Estatística de Habitação anunciada pela AICCOPN (Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas) na sexta-feira, relativa aos meses de janeiro e fevereiro, o consumo de cimento no mercado nacional, aumentou 18,2% em termos homólogos, totalizando 635 milhares de toneladas.

Entre janeiro e fevereiro de 2022, foram emitidas pelos municípios 3.226 licenças para obras de construção nova ou de reabilitação em edifícios residenciais, o que traduz um aumento de 5,8%, em termos homólogos. No que diz respeito ao número de fogos licenciados em construções novas apurou-se, nestes dois meses, um acréscimo de 19,8%, em termos homólogos, para 4.897.

No que concerne à concessão pelas instituições financeiras de novos créditos à habitação observa-se até fevereiro de 2022 a um aumento de 25,3%, face a igual período do ano passado, para 2.464 milhões de euros. No segundo mês do ano, o valor mediano da avaliação da habitação estabelecido para efeitos de crédito bancário registou uma valorização de 11,9%, em termos homólogos, em face de variações de 13,2% nos apartamentos e de 7,4% nas moradias.

A AICCOPN destaca a região do Algarve, onde o número de fogos licenciados em construções novas, nos doze meses terminados em fevereiro de 2022, foi de 1.662, valor que traduz um crescimento de 46,2% face aos 1.137 alojamentos licenciados nos doze meses anteriores. Destes, 20% são de tipologia T0 ou T1, 39% são de tipologia T2, 31% de tipologia T3 e 10% de tipologia T4 ou superior. No que diz respeito ao valor de avaliação bancária na habitação verificou-se, nesta região, uma variação homóloga de 19% em fevereiro.