Instituto Politécnico de Setúbal vai construir residências no Barreiro e Sines e ampliar unidade em Setúbal

Os três projetos acrescentam 182 novas camas à oferta existente.

Foram recentemente aprovadas e homologadas, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, as candidaturas apresentadas pelo Instituto Politécnico de Setúbal no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, tendo obtido o financiamento do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) num montante de cerca de 9 milhões de euros.

Em causa está a ampliação e remodelação da residência de estudantes de Setúbal e a construção de duas novas, em Sines e no Barreiro, passando a dispor de uma oferta de 476 camas, avançou o jornal O Setubalense.

Segundo a publicação, o Instituto Politécnico de Setúbal prevê que as novas residências possam começar a ser ocupadas a partir de dezembro de 2023.

De acordo com Ângela Lemos, presidente do IPS, os três projetos acrescentam 182 novas camas à oferta existente de alojamento estudantil, o que proporcionará uma melhor qualidade de vida aos estudantes deslocados e, por outro lado, dará resposta de alojamento temporário a alguns investigadores e docentes em mobilidade.

Para a Residência de Estudantes de Santiago, em Setúbal, está prevista a renovação do edifício existente e a sua ampliação, que deverá estar concluída até fevereiro de 2025. O alojamento ganhará 85 camas, aumentando a sua capacidade para um total de 379 vagas.

Onde o IPS tem instalada a Escola Superior de Tecnologia, no Barreiro, será construída de raiz em terreno cedido pelo município uma área residencial com capacidade para 50 camas.

Em Sines está prevista a construção de uma residência que pretende servir os estudantes da nova Escola Superior para acolher 45 alunos. O terreno para a construção foi cedido pelo município siniense.