Empréstimos em moratória diminuem em julho para 36,8 mil milhões de euros

O Banco de Portugal divulgou hoje os dados sobre os empréstimos abrangidos por moratórias.

No final de julho de 2021, o montante global de empréstimos abrangidos por moratórias era de 36,8 mil milhões de euros, menos 0,7 mil milhões do que em junho.

Segundo o Banco de Portugal, esta variação resulta do decréscimo tanto dos empréstimos concedidos a particulares como a sociedades não financeiras, que diminuíram 0,2 e 0,5 mil milhões de euros, respetivamente.

As moratórias de crédito surgiram no contexto da pandemia de COVID-19, em que foram aprovadas medidas de proteção às famílias e às empresas de forma a assegurar a manutenção da sua capacidade de gestão de tesouraria e de liquidez.

Os empréstimos de particulares abrangidos por moratórias eram de 14,2 mil milhões de euros, no final de julho, deste montante 12,9 mil milhões de euros correspondiam a empréstimos à habitação. Os empréstimos das sociedades não financeiras em moratória decresceram em todos os setores de atividade, totalizando, no final do mês em análise, 21,8 mil milhões de euros.