Destaques do mês de junho em Portugal

O mês que assinala a chegada do verão e também o mês dos Santos Populares, foi marcado por grandes investimentos no mercado imobiliário. Mesmo numa época de alguns feriados nacionais e municipais, com festas por todo o país, o mercado não parou, mostrando-se aparentemente calmo em contraciclo com os vorazes investimentos a surgir ao longo de junho.

De uma forma geral, e tal como foi evidente no passado mês de maio, existiram operações em alguns dos segmentos do setor, com principal destaque para a habitação e para os hotéis.

Habitação

O mês já ia a meio quando foi feito o anúncio que mais 70 fogos vão nascer em Lisboa financiados pelo PRR num investimento de mais de 6,2 milhões de euros. Já foi lançada a primeira pedra da construção dos 70 fogos no Bairro Padre Cruz, em Lisboa. Ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência foi assinado o contrato de financiamento que permitirá financiar a 100% a fundo perdido este investimento de mais de 6,2 milhões de euros, no âmbito da Estratégia Local de Habitação do município de Lisboa.

Entretanto, a Fercopor anunciou um novo projeto habitacional de luxo num investimento de 9 milhões de euros. É no Porto, na Avenida da Boavista, que vai nascer o Enlight, o mais recente empreendimento criado pela imobiliária de luxo para renovar a oferta de habitação naquela avenida. O projeto surge junto ao antigo Centro Comercial Dallas, num terreno de 2.636 m 2, até agora, desocupado. O novo empreendimento disponibilizará 20 apartamentos, distribuídos por sete andares. As tipologias T1 a T4 contam com áreas interiores até aos 280,5 m 2 e áreas exteriores até aos 95 m 2, entre varandas, jardins ou pátios.

Já a meio do mês, a Câmara Municipal de Oeiras anunciou que vai assinar com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) contratos de financiamento para a construção, até 2024, de 92 casas de arrendamento apoiado, num investimento global de cerca de 19,2 milhões de euros. O projeto conta ainda com uma comparticipação financeira do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) estimada em 15,8 milhões de euros.

Entretanto, foi revelado que a Traçado Regulador está a desenvolver um novo projeto para a construção de um edifício habitacional de luxo no Oeiras Golf & Residence. As 22 frações previstas terão áreas compreendias entre os 100m2 e os 200m2 e tipologias entre T2 e T4. Os valores do investimento não foram revelados.

No dia seguinte, o grupo CVM – Construções Vila Maior revelou que vai investir 140 milhões de euros, até 2024, na construção de 15 edifícios na área do Grande Porto, o correspondente a 825 frações, das quais 425 já estão em curso e as restantes 400 irão iniciar-se até final do 1º trimestre de 2023. O Grupo anunciou também a entrada na área do arrendamento industrial, onde investirá 15 milhões de euros, até final de 2023, em Santa Maria da Feira – Parque Empresarial A32, com 25.000m2 – sendo sua intenção continuar a comprar e a apostar no segmento com a compra de novos ativos.

Residências de Idosos

Já no final de junho, veio a público que o Hospital Particular de Viana do Castelo está a investir 8 milhões de euros numa nova unidade geriátrica. O projeto contempla a execução de um hotel sénior com 40 quartos individuais e 20 duplos, totalizando uma ocupação máxima de 80 hóspedes e, uma unidade clínica com serviços de fisioterapia, gastroenterologia, e o alargamento do ambulatório com todas as especialidades. Do investimento desta nova unidade que será instalada na Avenida Capitão Gaspar de Castro, uma das principais artérias da cidade, 1,255 milhões de euros correspondem ao valor da aquisição do terreno, com a consequente criação de cerca de 60 postos de trabalho.

Hotéis

No arranque do mês, o Resort de luxo W Algarve abriu portas num investimento de cerca de 300 milhões de euros. O W Algarve é o primeiro resort de luxo da marca W em Portugal, localizado em Albufeira, na Praia da Galé. A W Hotels Worldwide anunciou a abertura do W Algarve, que faz parte do portefólio da Marriott Bonvoy, que por sua vez detém mais de 30 marcas hoteleiras. O mais recente hotel da empresa que se junta à família dos W Escapes está localizado no topo das falésias na zona da Praia da Galé e conta com 134 quartos e suites voltados para o oeste, e 83 residências da marca W.

Na mesma semana surgiu o anúncio do novo Hotel IMMERSO que abriu portas na Ericeira num investimento de 6 milhões, por parte da Inspire Capital. A unidade hoteleira será o primeiro hotel de 5 estrelas na região, oferece 37 quartos, spa, piscina, bar e dois espaços gastronómicos. A unidade de 5 estrelas está instalada num vale e conjuga quatro zonas diferentes de alojamento, todas abraçadas pelo verde em redor. O grande luxo do projeto é o contacto com a Natureza.

Na semana seguinte, o grupo Fladgate vendeu um hotel no Porto à Gaw Capital. Dona do Intercontinental Palácio das Cardosas, a Gaw Capital é a nova proprietária do mais antigo 5 estrelas do Porto, o hotel Infante de Sagres. O histórico hotel foi vendido pela The Fladgate Partnership numa operação cujo valor não foi revelado. A nova unidade hoteleira, ainda sem nome escolhido, disponibilizará entre 85 e 90 quartos e estima-se que esteja em funcionamento no espaço de dois anos.

Com o mês a terminar, a Mercan Properties anunciou o investimento de 16,8 milhões de euros no Holiday Inn Express em Évora, que tem abertura prevista para o Verão de 2023. Este é o segundo projeto da Mercan Properties na cidade que detém o estatuto de Património Mundial da UNESCO, após o Hilton Garden Inn Évora, cuja primeira pedra foi colocada em 2021. O empreendimento, que criará cerca de 100 postos de trabalho, 70 destes durante a fase de construção, e mais 30 postos de trabalho permanentes, a serem criados assim que o hotel abrir, resulta de uma parceria com a IHG Hotels & Resorts (IHG).

Ativos Alternativos

Também no início de junho, a Home Tailors Real Estate anunciou a comercialização de uma Herdade Vinícola por 8 milhões de euros. A empesa de angariação e mediação imobiliária, está responsável pela comercialização da Herdade das Fontes Bárbaras, localizada num típico Monte Alentejano, no concelho de Castro Verde.  A herdade apresenta uma vertente vinícola e um projeto de turismo rural e enoturismo. O projeto turístico está inserido nos 162 hectares da propriedade agrícola, onde a cultura predominante é a vinha.

Com o mês a terminar, o Grupo Casais anunciou o investimento de  11 milhões num complexo de construção híbrida junto ao Polo da Universidade do Minho. É em Guimarães que vai nascer o complexo de construção híbrida que inclui um Hotel B&B com 95 quartos, 44 estúdios para arrendamento e um espaço comercial. Com assinatura do arquiteto Mário Fernandes, o complexo de construção híbrida será inaugurado ainda este ano. Segundo o grupo Casais este é o primeiro edifício de construção híbrida na Península Ibérica, utilizando madeira de engenharia e um terço do betão de um edifício tradicional.