Consumo de cimento sobe 13,8% em janeiro

O consumo de cimento totalizou 299 milhares de toneladas.

Segundo a Síntese Estatística de Habitação anunciada ontem pela AICCOPN (Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas), relativa ao mês de janeiro, o consumo de cimento aumentou 13,8%, os fogos licenciados em construções novas subiram 12,8% e a avaliação bancária da habitação registou um crescimento homólogo de 10,4%.

Face ao mesmo mês do ano anterior, em janeiro assistiu-se a um crescimento de 13,8% do consumo de cimento no mercado nacional, totalizando 299 milhares de toneladas.

Quanto ao número de licenças para obras de construção nova ou de reabilitação em edifícios residenciais emitidas pelas Câmaras Municipais, no primeiro mês de 2022, subiu 7,1%, em termos homólogos. No que concerne ao número de fogos licenciados em construções novas, verifica-se, no mês em análise, um acréscimo de 12,8%, em termos homólogos, para 2.489.

No que diz respeito ao novo crédito para aquisição de habitação concedido pelas instituições financeiras, a AICCOPN avança que o mesmo se situou nos 1.187 milhões de euros, o que corresponde a uma variação de 22,6%, face a mesmo período do ano passado.

Quanto ao valor mediano da avaliação da habitação estabelecido para efeitos de crédito bancário, o mesmo valorizou-se, em termos homólogos, 10,4% em janeiro de 2022, em resultado de aumentos de 11,9% nos apartamentos e de 7,1% nas moradias.

A AICCOPN destaca a região Centro, em que o número de fogos licenciados em construções novas nos doze meses terminados em janeiro de 2022 foi de 5.801, valor que traduz uma subida de 12,3% face aos 5.165 alojamentos licenciados nos doze meses anteriores. Destes, 11,2% são de tipologia T0 ou T1, 20% são de tipologia T2, 51,8% de tipologia T3 e 17% de tipologia T4 ou superior. Quanto ao valor de avaliação bancária na habitação apurou-se, nesta região, uma variação homóloga de 8,6% em janeiro.