165 682 habitações transacionadas em 2021

O número de avaliações bancárias superou as 123 mil.

Segundo o relatório relativo às Estatísticas de construção e habitação, divulgado na passada sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, em 2021, foram licenciados 25 409 edifícios em Portugal, +8,2% do que em 2020 (-3,7% em 2020).

Estima-se que em 2021 tenham sido concluídos 15 262 edifícios, correspondendo a um acréscimo de 3,6% face ao ano anterior (+7,8% em 2020; 14 732 edifícios) e 22 384 fogos, representando um acréscimo de 10,2% (+27,6% em 2020, correspondendo a 20 320 fogos).

De acordo com os dados do INE, foram transacionadas 165 682 habitações, o que constitui um novo máximo da série disponível e um crescimento de 20,5% face a 2020. No ano em análise, o valor das habitações transacionadas ascendeu a 28,1 mil milhões de euros, mais 31,1% que em 2020.

No que diz respeito às obras licenciadas e concluídas, no ano passado foram licenciados 25 409 edifícios em Portugal, +8,2% do que em 2020 (-3,7% em 2020). Os edifícios licenciados para construção nova foram também predominantes, representando 74,6% do total de edifícios licenciados (72,7% em 2020). Estima-se que tenham sido concluídos 15 262 edifícios, correspondendo a um acréscimo de 3,6% face ao ano anterior (+7,8% em 2020; 14 732 edifícios). A análise dá conta que as obras concluídas correspondentes a construções novas tenham aumentado 5,6%, correspondendo a 12 250 edifícios no ano de 2021 (+13,0% em 2020; 11 596 edifícios).

Quanto ao parque habitacional, no ano em análise o parque habitacional português foi estimado em 3 619 109 edifícios e 6 002 874 alojamentos, o que corresponde a subidas de 0,25% e 0,32%, respetivamente, face a 2020 e a aumentos absolutos de 9 131 edifícios e 19 628 alojamentos.

O valor das habitações transacionadas ascendeu a 28,1 mil milhões de euros, mais 31,1% que em 2020. Do total, 21,6 mil milhões corresponderam a transações de habitações existentes (+34,2%) e 6,5 mil milhões a habitações novas (+21,7%). Foram transacionadas 165 682 habitações em 2021, o que constitui um novo máximo da série disponível e um aumento de 20,5% relativamente a 2020.

No que concerne à avaliação bancária, no ano em análise o número de avaliações bancárias efetuadas por peritos ao serviço das instituições bancárias no âmbito da concessão de crédito à habitação superou as 123 mil. Este é o maior registo desde 2009 e reflete um crescimento de 24,8% face a 2020, acima da taxa de variação observada no número de transações de habitações (20,5%).

Quanto aos preços da habitação ao nível local, o preço mediano de alojamentos familiares transacionados no país foi 1 297 €/ m2, tendo aumentado 9,0% face a 2020. O INE dá ainda conta que em 2021, a renda mediana dos 87 349 novos contratos de arrendamento de alojamentos familiares em Portugal atingiu 6,04 €/m2, aumentando 7,7% face ao período homólogo (+5,5% em 2020).